Top Social

[[[ Por Frutinha - Vânia Filipa ]]]

O porquê de tanta dor, de tanto medo

22 de fevereiro de 2015
Tudo começou em Novembro com a chegada de um resultado de um exame. Aquilo que não queremos ouvir. Tumor na cabeça. Mais exames, mais consultas e marcação de cirurgia.

Quinta-feira dia 12 foi o dia. A cirurgia começou as 8.30 e desde ai foi uma carga de nervos que nem me quero lembrar. 

Ligamos para o recobro ao meio da manha... "está em cirurgia, ligue por volta das 15.30h"
Ligamos as 15.30..... "ligue mais daqui a uma hora ou duas"
Ligamos as 17h...... "Ligue mais daqui a uma hora"

Além do nervosismo a esta hora já estava a ser invadida por pânico. Já la iam quase 9h de cirurgia e continuávamos sem respostas. A ideia da minha mãe ali a "dormir" horas e horas estava-me a deixar uma lástima. Bastava uma pessoa falar para mim e desmanchava-me a chorar tal era a pilha de nervos. Escusado será de dizer que o meu telemóvel não parou e de hora a hora havia gente a ligar-me; o que não facilitava de todo.

Tomámos a decisão que se passado uma hora continuassem a dar-nos a mesma resposta iriamos diretos para Coimbra. Digo-vos foi a hora mais longa da minha vida. Foi o dia mais longo da minha vida.

As 6 e pouco ligamos "ainda está em cirurgia mas já temos cama pedida no recobro em nome dela, por isso está para terminar. Ligue daqui a uma horita".

Viemos para casa, não jantei; tal como não tinha almoçado. Não era capaz.

As oito horas da noite voltamos a ligar..... "a cirurgia correu dentro do normal e já acordou"

Mal ouvi estas palavras fui invadida por um sentimento que não tem explicação. o "já acordou" é tão mas tãaaoooo bom de se ouvir. Claro ainda o nervosismo pois sabiamos os riscos que haviam. Será que vê? que fala? que sabe quem é? que anda?

Há meia noite voltamos a ligar...... "está bem, um bocadinho confusa mas já respondeu positivamente"

Respirei. Acho que não respirava há horas. A cirurgia ao cérebro demorou cerca de 11h. 
Onze horas sem saber nada. Zero. Apenas os riscos que se corriam. E mesmo depois de terminada não tínhamos informações palpáveis.

Dormimos. Às oito da manhã voltamos a ligar...... "passou bem a noite. Ontem respondeu mal a umas perguntas da idade e onde estava mas hoje ja respondeu certo a tudo."
Chorei de nervos e de alivio.

As visitas seriam só às 3h da tarde. As enfermeiras, umas querida, à dez da manhã deixaram entrar o meu irmão, que mora lá em Coimbra. Do outro lado chegou a informação.... "já fala, reconheceu-me e até me deu recados. Está bem"

Respirei e chorei. Ainda hoje choro quando falo nisto. Teve três dias e meio numa enfermaria de cuidados intensivos em que só recebia 1 visita de cada vez. Basicamente em 4h de hora de visita so conseguia tar com ela uma meia hora no total se tanto. Estava sempre muito cansada e queria dormir. Aquela sala de espera foi onde passei horas e horas; foi a minha casa durante alguns dias.

Depois de uma semana de internamento, veio finalmente para casa. Ainda com uma recuperação muito grande pela frente e com uns bons meses de paciência e calma.

Tenho estado com ela pois precisava de gente 24h por dia. Assim vai continuar no próximo mês. 

Não foi fácil. Aliás, foi muito difícil e muito doloroso. Ainda temos um longo caminho mas penso que o pior já passou. Só quem passa por isto é capaz de entender tamanha dor.

O meu muito obrigado pelas vossas palavras e apoio. Acreditem, valeram muito.

Agora vou ali continuar o meu trabalho dos últimos e próximos dias. Enfermeira.



Segue-me em: [ Facebook ] [ Instagram ]
12 comentários on "O porquê de tanta dor, de tanto medo"
  1. Vai correr tudo bem, muita, muita força. Um abraço apertadinho

    ResponderEliminar
  2. Uma grande força e que tudo corra muito bem!!! Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  3. Vai tudo correr bem! Muita fé e esperança :) um beijinho muito grande e muita força :)

    ResponderEliminar
  4. muita força e tudo a correr pelo melhor!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que corra tudo bem...muita Fé e esperança...onde há carinho e amor tudo se resolve mais facilmente! Beijinho!

    ResponderEliminar
  6. Vânia um abraço muito apertado, a tua mãe já está em casa a recuperar. Tem fé que vai correr tudo bem.
    Um beijinho à família e um grande a sua mãe que foi uma guerreira.
    Marta

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que correu tudo pelo melhor. Força!

    ResponderEliminar
  8. Nem imagino como tenha sido difícil porque termos alguém muito querido em risco de vida é mais que angustiante, até eu só de ler o teu desabafo fiquei emocionada! Beijinhos e que tudo corra bem :)

    ResponderEliminar
  9. Nem imagino como te sentiste e como te sentes... Mas, respira fundo e pensa positivo: isso já passou e o resto vai correr bem também com certeza!! Um grande grande beijinho e sabes que se precisares estamos aqui para desabafares e a torcer por ti, pela tua mãe, para que dê tudo certo :)

    ResponderEliminar
  10. Nem imagino a dor, o cansaço que se vai apoderando de ti. Mas este é um desafio que irá ser superado por ti, pela tua mãe. Um obstáculo que a tua vida te impôs no caminho. Mas tudo irá correr pelo melhor. Um beijinho enorme para ti*

    ResponderEliminar
  11. Desejo rápidas melhoras! Um beijinho**

    ResponderEliminar

Desabafa que faz bem à alma