A Gravidez continua atribulada.

A saga da gravidez continua. Já disse, com uma gravidez de treta só posso ter um parto abençoado.
A fazer quase um mês que estou de cama, sexta feira acordei cheira de dores. Na realidade já na quinta que me estava a atacar mas nem liguei muito. Não eram dores na barriga, não sou assim tão doida e irresponsável, eram dores numa das virilhas e como estou sempre deitada não liguei porque associei a isso.
Sexta acordei com dores...... foram piorando, ao ponto de depois de almoço tentar ir ao wc e nao ser capaz. Fiquei parada a meio caminho porque sentia uma dor taaaaoooo forte casa vez que mexia a perna um milímetro que fosse e desatei a chorar, sozinha em casa, ali no meio da casa. Acalmei-me, respirei fundo e arrastei-me literalmente para o wc. Era isso, ou fazê-lo ali mesmo no chão.
Voltei a deitar-me e pelo caminho a dor voltou a atacar-me, desesperei.
Mandei mensagem à minha médica, que me respondeu de imediato que devia ir para as urgências para ser vista e medicada. 
Entrei em pânico. Eu estou só de 29 semanas!!! A criança não pode nascer! Chorei, berrei, solucei. Peguei no telemóvel e liguei ao homem. Nunca lhe ligo durante o horário de trabalho. Ele atendeu, eu de tanto chorar e soluçar nem conseguia falar.


- Vânia?
- Vânia, o que é que se passa?!
Entre choro e soluços la me saíram umas palavras meio distorcidas: "a medica mandou-me ir para as urgências"
- Queres que chame uma ambulância? ou vou contigo?
- Vem tu comigo. respondi.
Foram os 15min mais longos que tive nos últimos tempos. Ali sozinha, sentada a chorar e a salocar.

O Boy chegou, pedi-lhe que me trouxesse uma muda de pijama e roupa interior, mudei-me. Pedi-lhe que me juntasse todos os exames e medicação para levar. Levar onde? não tenho mala da maternidade feita ainda (sim eu sei, já devia tar feita, mas estando eu de cama ainda não foi possível). Enfiou aquilo num saco que mais parecia do pão. 
- E chinelos? diz ele
- Tenho para ai uns novos mas secalhar molham-se.
Eram chinelos de quarto e chovia bem aquela hora. 
- Olha vais de crocs.
E fui, nem me chateei. 
La fui eu para o hospital, de cabelo sujo (nao o lavei demanha por já estar com dores), pijama, crocs e saco na mão que parecia do pão. 
Ainda assim não quis saber, so pensava no meu bebe. 
Cheguei, fui atendida quase de imediato e toda a equipa era fantástica. Percebi que assim que mencionei o nome da minha médica, todo o tratamento melhorou ainda mais e não se escusaram a fazer vários exames. 
Depois de vários exames, eram 20h disseram "precisamos que fique cá mais uma horas para observaçao". Pedi ao Boy para ir para acasa. Estava na sala de espera há 4 horas. 
Acabei por passar a noite.
Andei o tempo todo a fazer ecografias e registo, uma vez que acusava sempre contraçoes. De 3 em 3 horas lá ia eu para mais uma eco e mais um registo. Curiosamente no hospital sentia-me super calma. Só me custou mais o facto de estar sozinha. Como nunca sai das urgencias obstetras, inclsuve durante a noite (tem dois quartos para internamente dentro da propria urgencia) nunca pude ter visitas ou acompanhantes. O boy e a minha mae não paravam de me mandar mensagens tal era a precupaçao. 
Acabei por adormecer passava da 1h da manhã e acordei eram 6h. Sabado demanha e começaram de imediato com mais exames, coisa continuou e quando as 10h me disseram que preciava de estar mais umas horas em observaçao temi passar la mais um dia, sozinha, numa cama a olhar para o teto e paredes.
As 14h fiz a ultima eco. Ao que parecia continuava tudo na mesma tal como tinha entrado há 24horas atrás, portanto o bebe nao estava a fazer força para sair, e felizmente disseram-me ali que ia ter alta. Era so almoçar e podia sair. Ainda assim nao foi de animo leve, perguntaram se tinha ajuda em casa, e fizeram mil perguntas para perceber se eu tinha condições de vir para casa. 
Toda eu respirei de alivio.
Curioso que fui para as urgências por causa de uma dor de virilha, e fiquei la por ter contraçoes.
Quanto a perna, chegaram a conclusão que é uma dor muscular. Como estou sempre de cama devo ter feito alguma distensão, algo que pode acontecer quando me viro na cama por exemplo por causa do peso da barriga. As contraçoes continuam, mas essas ha bastante tempo que as tenho, dai fazer medicação, foi o que repeti varias vezes e dai me deixarem voltar para casa. 
Vim para casa, aliviada, e nada paga o conforto da nossa casa.
O repouso absoluto é para continuar, e daqui a uma semana quando tiver consulta com a minha iremos ver se preciso de algum ajuste. MAs confesso, que temo vir a ser internada, até porque no hospital pediram para informar a medica de tudo pois se calhar não é má ideia fazer injecções de maturação pulmonar para o bebe, e outra para evitar trombose a mim propria por estar deita. Por isso confesso que daqui a uma semana a médica tenha a feliz ideia de internamento. Veremos.
Não foi facil, uma pessoa entra literalmente em pânico. As vezes pergunto-me como é possível sentir ja tanto amor por um bebezinho que ainda nem vi. 
Agora é continuar na caminha, e pedir aos deuses e santos que o bébé continue cá dentro mais dois meses sem percalços. 

Alguem mais por ai que tenha tido uma gravidez assim? super atribulada. 

8 comentários

  1. Vai correr tudo bem!! tenta manter calma e pensamento positivo porque em breve terás o amor mais precioso da vida nos braços!
    é rápido e vai ser mágico!
    bjsss doces

    ResponderEliminar
  2. Ao contrário de tí tive uma gravidez santa mas em compensação às 33 semanas rebentaram-me as águas assim do nada...ciclo de maturação dos pulmões de 48 horas e um prematuro na incubadora e no hospital internado durante 3 semanas. Por isso por mais que custe faz tudo o que for possível para que o bebé nasça com o maior tempo de gravidez possível porque depois um prematuro não é um bebé igual aos outros e eu tive muita sorte porque o meu filho não teve uma única complicação.

    ResponderEliminar
  3. Sim... gravidêz gemelar, de baixa desde as 24 semanas, internamento às 28 semanas para fazer injeções para maturação dos pulmões e um medicamento para parar as contrações. Não resultou. Nasceram 5 dias após o internamento, já com 29 semanas de gestação. Ás vezes os bebés querem nascer mais cedo e nada os para. Foi o meu caso. Para além de serem 2, não havia mais nada que motivasse o nascimento prematuro. Depois de 72 longos dias internados, vieram para casa com complicações menores (mínimas mesmo, resolvidas com fisioterapia em bebés e agora com 5 anos com terapia da fala), são 2 pestes que fazem disparates em cadeia. Vai correr tudo bem convosco. É seguir as instruções dos médicos e manter a calma.

    Joana.

    ResponderEliminar
  4. Como te compreendo: eu parei às 5 semanas de gestação. Mas pensa positivo: estás em boas mãos. E vai correr tudo bem. Muita força. Se precisares de falar, estou deste lado

    ResponderEliminar
  5. Mais uma gravidez com sustos, por este lado. Baixa às 28 semanas. Internamento às 31 semanas. Ciclo de injecções de maturação dos pulmões, muita medicação e felizmente 1 semana depois fui para casa de repouso e com muita medicação. E resultou e o Dinis apenas nasceu às 39 semanas! :) beijinhos e força!

    ResponderEliminar
  6. Nem imagino o que sentes. Por aqui, nas duas gravidezes, correu tudo bem e na primeira inclusive trabalhei até à véspera. Nem consigo imaginar o que será passar dias e dias sentada no sofá sem poder fazer grandes movimentos e o pensamento a fluir a mil à hora.

    O mais importante, neste momento, é focares toda a tua atenção no bebé e pensares nele. Tudo valerá a pena quando o tiveres nos teus braços. Um grande beijinho*

    ResponderEliminar
  7. Coragem! Nem imagino como esteja a ser difícil mas tem paciência (que remédio!) e pensa no teu bebé nos teus braços. Pode ser que passe mais depressa :)
    Desejo que corra tudo pelo melhor.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Calma, vai tudo correr bem, mesmo que ele tenha pressa em nascer pensamento positivo.
    Às 31 semanas, na última eco, foi-me detectado contracções de média intensidade mas eu não sentia nada ... foi um choque para mim. Fui internada, tive de levar as tais injecções para a maturação pulmonar, a médica e as enfermeiras estavam optimistas que iria para casa às 34 semanas, mas ele às 32 semanas lembrou-se nascer. Felizmente correu tudo bem, ao fim de 20 dias veio para casa sem sequelas. Hoje é um menino de 2 anos cheio de vida.
    Também fiquei com dores musculares durante o meu internamento e só fiquei em repouso uma semana ... eu até dizia que doía-me mais o corpo que propriamente o pós-parto! Calma e paciência para esta fase, quanto mais tempo ele passar dentro do T0 melhor, é de evitar um nascimento prematuro, eles até podem ficar bem mas nós passamos pela pior experiência das nossas vidas.

    Boa sorte.

    ResponderEliminar

Desabafa que faz bem à alma